quarta-feira, 30 de abril de 2008

Briófitas: As primeiras plantas terrestres: aula


Dedicados alunos;

Segue a aula sobre briófitas gentilmente preparada e cedida pelo professor Felipe (coordenador da cadeira de Biologia do C.E.Sigma).
Viu!!! Você estava um pouco entediado no feriado? Seus problemas acabaram! Mais uma aulinha de botânica ao seu bel prazer.
Abraços
Equipe de biologia






Para Realizar Download da aula vista em sala;

1- Clique no link abaixo;
http://www.4shared.com/file/45949556/bad08831/Estudando_as_brifitas.html





2- Deixe a página abrir totalmente. Surgira um quadro semelhante a este no último terço da página (pode demorar um pouquinho!)



3- Clique em download File



4- Salve o arquivo ou o abra para ver a aula. (O arquivo exige o programa PDF para ser visto).








Briófitas





As briófitas compreendem os vegetais terrestres morfologicamente mais simples, possuindo clorifilas a e b. Conhecidas popularmente como "musgos" (filo Bryophyta) , "antoceros" (filo Anthocerophyta) ou "hepáticas" (filo Hepatophyta), ocupam caracteristicamente ambientes úmidos (adaptação à falta de vasos condutores), por serem dependentes da água para a fecundação, no deslocamento de anterozóides flagelados até a oosfera. Algumas porém, são resistentes à falta de água, podendo o gametófito sobreviver por meses de sêca (por exemplo, nos desertos). Assim como os liquens, são colonizadoras de rochas e também sensíveis à poluição, funcionando como bio-indicadoras.
Atualmente, considera-se que as briófitas representam um grupo de transição entre as algas verde (carófitas) e as plantas vasculares; tais algas apresentam, como as plantas, cloroplastos com grana bem desenvolvidos e células móveis assimétricas, com flagelos laterais; além disso, na ordem Coleochaetales, os zigotos ficam retidos dentro do talo parental e, ao menos uma espécie, apresenta células de transferência, como as plantas. As briófitas se distinguem das carófitas, por algumas características como: presença de gametângios masculino e feminino (anterídio e arquegônio) e esporângios revestidos por uma camada protetora de células estéreis, embrião desenvolvendo-se no interior do arquegônio e esporos contendo esporopolenina, entre outras.
As briófitas apresentam alternância de gerações entre gametófto ramificado fotossintetizante (independente) e esporófito não ramificado (dependente, ao menos em parte, do gametófito). O espórófito (2n), resultante da união de dois gametas (n), origina, após ocorrência de meiose (R!) no tecido esporógeno, esporos haplóides (n). Esses, por sua vez, ao serem liberados das cápsulas e encontrarem substrato adequado, germinam, originando novos gametófitos (n).

2 comentários:

disse...

textO um poucO bom ...mais ate q gostei

Anônimo disse...

nao é tao ruim mas da pra melhorar.. tem um erro no texto, nao sei o que quer dizer ''anterozóides flagelados até a oosfera ..mas eu gostei :) parabens!